>

12 junho 2017

A Lenda Vermelha | Memorialices Birthday

insta da Lu ~
"Não me sinto intimidada pela minha sensualidade como teria acontecido quando era uma menina ingênua. Agora eu sei aceitá-la. Combinada com meu destemor e minha coragem intraterrenos, minha feminilidade me tornará invencível porque sou uma mulher... e uma Rainha Vermelha." 
(Sussurros do País das Maravilhas, A.G. Howard)

— Existe uma lenda, quase nunca contada, uma distinta história de força e beleza selvagens, não um romance, mas, uma lembrança da sobrevivência, um semblante de força e sensualidade.

Ninguém sabe ao certo quando as coisas começaram a dar errado.   

Ninguém sabe quando foi que o experimento falhou e o vírus se espalhou. Ninguém sabe onde foi que isso começou. A única coisa que todos sabem, é que se espalhou por cada canto do mundo em um piscar de olhos.

Antes mesmo de seus corações pulsarem em uma última batida de vida, todos já haviam sido contaminados...

A humanidade já não mais existia. Os que sobreviveram tomavam medidas extremas para garantir sua sobrevivência.

Não haviam mais dias felizes, não havia mais algo que pudesse ser chamado de viver.
Aquilo era sobrevivência.

E como todas as grandes lendas surgem em meio ao caos, com esta não foi diferente.

Os que sobreviveram, se reuniam em grupos, formavam comunidades, buscando em vão uma nova chance de reerguerem a raça humana. Alguns, faziam um bom trabalho e eram boas pessoas, mesmo em meio a tudo.

Mas, a diversidade entre a raça humana sempre existiu, e o vírus que fora espalhado não tornou isso diferente. Ainda existiam os grupos compostos por más pessoas, pessoas tão cruéis quanto os mortos que os cercavam, eles agiam por diversão, sentiam certo prazer no sofrimento causado aos outros.

Sobreviventes que matavam sobreviventes e, talvez por todos estarem distraídos com essa batalha entre grupos, foi que ninguém reparou na garota de vermelho, que caminhava silenciosamente por entre mortos barulhentos e selvagens que iam de encontro a uma das comunidades erguidas por tais sobreviventes.

Por todos estarem tão aturdidos pela gritaria causada pela discussão política em que se encontravam, nenhuma pessoa se quer reparou nos mortos andando até seus alojamentos.

Ninguém além da garota de cabelos cacheados.

Crianças sozinhas em suas casas encaravam aquela cena pasmos, não gritavam para seus pais por medo de chamar a atenção dos mortos, não corriam e pegavam armas porque estavam petrificados demais, presos em seu próprio medo.

Tais crianças, receberam um olhar um tanto curioso vindo da jovem garota, demoraram a decifrar o que ele significava, pois estavam petrificados com tamanha beleza e destreza, nunca se foi imaginado ver tal combinação em meio a todo o caos, o que dirá ambos vindo acompanhados de tanta feminilidade.

Em um lento piscar de olhos, acompanhado de um choque momentâneo, as crianças acompanharam a decapitação de três mortos, cortados pela mesma espada de lâmina fina, em um único golpe.

Os grupos continuavam a discutir em alto e claro som, ninguém além das crianças presas em suas respectivas casas havia reparado na silenciosa garota vestida de vermelho.

Havia destemor e coragem, combinados a uma particular feminilidade, agora encoberta por violentas gotas de sangue que cobriam os cachos delicados que caiam suaves no rosto da garota de vermelho.

Aquela silenciosa batalha perdurou por mais alguns demorados minutos, e em nenhum deles a garota fora vista em desvantagem. Era apenas ela. Aparentemente frágil, contra um número não especifico de mortos selvagens.

Quando haviam inúmeros corpos cobertos de sangue, caídos no chão, a garota levou sua espada que ainda reluzia em meio ao sangue as costas, retirou alguns cachos que lhe cobriam os olhos em um rápido movimento com as mãos, olhou para as casas - onde haviam as crianças que acompanharam toda aquela sangrenta e silenciosa batalha, mirou-os com um delicado meio sorriso, e dirigiu-se com a mesma destreza de outrora para fora da comunidade.

As crianças ainda se encontravam inertes com o ocorrido, ficaram com o olhar perdido para as ruas pelo que pareceu muito tempo, até que vozes de espanto os despertaram.

Fora encontrado na saída da comunidade, uma rosa branca, pintada de vermelho, assim como fora encontrada rosas deste mesmo aspecto em vários outros lugares, ninguém nunca soube quem as deixava, porém, sempre houveram suspeitas, pois em todos estes lugares, a única coisa que estes possuíam em comum, eram os sussurros de alguém, contando as batalhas que foram vencidas, por uma Garota Vermelha.

Havia graça, delicadeza e beleza, assim como havia destreza, coragem e esperteza, tudo era altamente combinado em dosagem certa. A garota desconhecida, era uma faísca de esperança, um símbolo de feminilidade e um adjetivo para a força.

Não ficou conhecida como garota, tão pouco como mulher, era a que todos chamavam de Rainha Vermelha e ela, era a grande heroína daquele tempo... a grande heroína, daquele novo mundo.

— — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — 

F E L I Z   B L O G A N I V E R S Á R I O!

Um tempinho atrás, eu decidi que gostaria de participar do projeto de aniversário de um dos meus blogs favoritos, o Memorialices <3 
Esse, é o meu post "presente", pois, consistia em fazer uma homenagem com coisas que fazem parte do mundo do blog aniversariante, e, não tem nada que me lembre mais a Lu e o Memorialices, do que zumbis e o País das Maravilhas. 
Lu, esse é um texto bem simples, mas eu espero que tu tenha gostado, pois foi feito de coração! 

Para escrevê-lo - palavras de uma pessoa que ainda não leu O Lado Mais Sombrio, mas que é fã de Alice no País das Maravilhas e The Walking Dead - eu me baseei em uma frase que aparece em destaque no post A Trindade Perversa.

Tentei criar algo que mostrasse força acima de todo o resto, pois sinto que a Lu é uma pessoa forte, ela não está aqui só por estar, ela está aqui porque ela tem uma mensagem a passar, pode-se perceber isso ao visitar o Memorialices, que com tanto cuidado é feito a base de verdadeiros sentimentos! 
Meus parabéns, guria, tu é uma faísca de esperança nesse mundo louco no qual estamos hospedadas, parabéns por cuidar com tanto carinho desse espacinho na internet! <3 

2 comentários:

  1. Dani, antes de mais nada: MEU DEUS DO CÉU, QUE TEXTO MARAVILHOSO É ESSE?!

    Ok, agora que eu extravasei minha surpresa, eu preciso dizer que estou emocionada com o que vocês escreveu, desde a crônica lindíssima, até esse "feliz aniversário". Eu vou imprimir seu texto e colar em todo lugar!

    Você já deve saber que é uma das pessoa mais incríveis que eu conheci aqui na internet (não sabe? tô reafirmando isso agora!), e receber todo esse carinho é mágico. Você juntou três coisas que eu amo demais: País das Maravilhas, The Walkingd Dead e O Lado Mais Sombrio. Eu já li esse post duas vezes e vou ler de novo!

    Enfim, enfim, nem um comentário gigantesco seria suficiente para descrever como estou sentindo. Muito obrigada por tudo <3 Eu espero que a cartinha que vou te enviar (ela já está pronta, só esperando eu ir ao correio) possa te dar um pouco da felicidade que eu estou sentindo agora :)

    Beijos <3 <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tu não sabe o alívio que eu tô sentindo por tu ter gostado <3
      Estava tão nervosa e louca pra postar, admito que queria saber tua reação o quanto antes!

      Awn <3 Tu também é uma das pessoas mais incríveis que essa internet gigantesca já me proporcionou (obrigada internet)
      E sobre essa misturama, eu tentei kkkk

      Estarei esperando a tua cartinha curiosamente ansiosa (ainda tenho que enviar a minha)

      De novo, estou muito feliz que tu tenha gostado, e, pela 3º ou 4º vez, parabéns! <3

      Excluir