>

12 junho 2017

A Lenda Vermelha | Memorialices Birthday

insta da Lu ~
"Não me sinto intimidada pela minha sensualidade como teria acontecido quando era uma menina ingênua. Agora eu sei aceitá-la. Combinada com meu destemor e minha coragem intraterrenos, minha feminilidade me tornará invencível porque sou uma mulher... e uma Rainha Vermelha." 
(Sussurros do País das Maravilhas, A.G. Howard)

— Existe uma lenda, quase nunca contada, uma distinta história de força e beleza selvagens, não um romance, mas, uma lembrança da sobrevivência, um semblante de força e sensualidade.

Ninguém sabe ao certo quando as coisas começaram a dar errado.   

Ninguém sabe quando foi que o experimento falhou e o vírus se espalhou. Ninguém sabe onde foi que isso começou. A única coisa que todos sabem, é que se espalhou por cada canto do mundo em um piscar de olhos.

Antes mesmo de seus corações pulsarem em uma última batida de vida, todos já haviam sido contaminados...

A humanidade já não mais existia. Os que sobreviveram tomavam medidas extremas para garantir sua sobrevivência.

Não haviam mais dias felizes, não havia mais algo que pudesse ser chamado de viver.
Aquilo era sobrevivência.

E como todas as grandes lendas surgem em meio ao caos, com esta não foi diferente.

Os que sobreviveram, se reuniam em grupos, formavam comunidades, buscando em vão uma nova chance de reerguerem a raça humana. Alguns, faziam um bom trabalho e eram boas pessoas, mesmo em meio a tudo.

Mas, a diversidade entre a raça humana sempre existiu, e o vírus que fora espalhado não tornou isso diferente. Ainda existiam os grupos compostos por más pessoas, pessoas tão cruéis quanto os mortos que os cercavam, eles agiam por diversão, sentiam certo prazer no sofrimento causado aos outros.

Sobreviventes que matavam sobreviventes e, talvez por todos estarem distraídos com essa batalha entre grupos, foi que ninguém reparou na garota de vermelho, que caminhava silenciosamente por entre mortos barulhentos e selvagens que iam de encontro a uma das comunidades erguidas por tais sobreviventes.

Por todos estarem tão aturdidos pela gritaria causada pela discussão política em que se encontravam, nenhuma pessoa se quer reparou nos mortos andando até seus alojamentos.

Ninguém além da garota de cabelos cacheados.

Crianças sozinhas em suas casas encaravam aquela cena pasmos, não gritavam para seus pais por medo de chamar a atenção dos mortos, não corriam e pegavam armas porque estavam petrificados demais, presos em seu próprio medo.

Tais crianças, receberam um olhar um tanto curioso vindo da jovem garota, demoraram a decifrar o que ele significava, pois estavam petrificados com tamanha beleza e destreza, nunca se foi imaginado ver tal combinação em meio a todo o caos, o que dirá ambos vindo acompanhados de tanta feminilidade.

Em um lento piscar de olhos, acompanhado de um choque momentâneo, as crianças acompanharam a decapitação de três mortos, cortados pela mesma espada de lâmina fina, em um único golpe.

Os grupos continuavam a discutir em alto e claro som, ninguém além das crianças presas em suas respectivas casas havia reparado na silenciosa garota vestida de vermelho.

Havia destemor e coragem, combinados a uma particular feminilidade, agora encoberta por violentas gotas de sangue que cobriam os cachos delicados que caiam suaves no rosto da garota de vermelho.

Aquela silenciosa batalha perdurou por mais alguns demorados minutos, e em nenhum deles a garota fora vista em desvantagem. Era apenas ela. Aparentemente frágil, contra um número não especifico de mortos selvagens.

Quando haviam inúmeros corpos cobertos de sangue, caídos no chão, a garota levou sua espada que ainda reluzia em meio ao sangue as costas, retirou alguns cachos que lhe cobriam os olhos em um rápido movimento com as mãos, olhou para as casas - onde haviam as crianças que acompanharam toda aquela sangrenta e silenciosa batalha, mirou-os com um delicado meio sorriso, e dirigiu-se com a mesma destreza de outrora para fora da comunidade.

As crianças ainda se encontravam inertes com o ocorrido, ficaram com o olhar perdido para as ruas pelo que pareceu muito tempo, até que vozes de espanto os despertaram.

Fora encontrado na saída da comunidade, uma rosa branca, pintada de vermelho, assim como fora encontrada rosas deste mesmo aspecto em vários outros lugares, ninguém nunca soube quem as deixava, porém, sempre houveram suspeitas, pois em todos estes lugares, a única coisa que estes possuíam em comum, eram os sussurros de alguém, contando as batalhas que foram vencidas, por uma Garota Vermelha.

Havia graça, delicadeza e beleza, assim como havia destreza, coragem e esperteza, tudo era altamente combinado em dosagem certa. A garota desconhecida, era uma faísca de esperança, um símbolo de feminilidade e um adjetivo para a força.

Não ficou conhecida como garota, tão pouco como mulher, era a que todos chamavam de Rainha Vermelha e ela, era a grande heroína daquele tempo... a grande heroína, daquele novo mundo.

— — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — — 

F E L I Z   B L O G A N I V E R S Á R I O!

Um tempinho atrás, eu decidi que gostaria de participar do projeto de aniversário de um dos meus blogs favoritos, o Memorialices <3 
Esse, é o meu post "presente", pois, consistia em fazer uma homenagem com coisas que fazem parte do mundo do blog aniversariante, e, não tem nada que me lembre mais a Lu e o Memorialices, do que zumbis e o País das Maravilhas. 
Lu, esse é um texto bem simples, mas eu espero que tu tenha gostado, pois foi feito de coração! 

Para escrevê-lo - palavras de uma pessoa que ainda não leu O Lado Mais Sombrio, mas que é fã de Alice no País das Maravilhas e The Walking Dead - eu me baseei em uma frase que aparece em destaque no post A Trindade Perversa.

Tentei criar algo que mostrasse força acima de todo o resto, pois sinto que a Lu é uma pessoa forte, ela não está aqui só por estar, ela está aqui porque ela tem uma mensagem a passar, pode-se perceber isso ao visitar o Memorialices, que com tanto cuidado é feito a base de verdadeiros sentimentos! 
Meus parabéns, guria, tu é uma faísca de esperança nesse mundo louco no qual estamos hospedadas, parabéns por cuidar com tanto carinho desse espacinho na internet! <3 

10 junho 2017

Aos sonhadores, Anne With an E

compre o livro ~
Composta por 7 longos, porém poucos episódios (socorro, preciso de mais, não sei lidar) Anne With an E, é uma série que entrou para o meu topo de séries favoritas, lá está Anne, com seus cabelos ruivos, sardas e pele pálida, ao lado de Game of Thrones  <3 

Eu ouvi muito sobre Anne ultimamente, não por causa de divulgação, inclusive, acho que a série merecia mais destaque do que realmente possui, mas sim por causa de um certo livro que estive lendo no Wattpad, fazia muitas referências a garota ruiva que vemos na imagem acima, e, como a série já havia sido adicionada na minha lista, não resisti e maratonei a mesma em um único dia.

No instante em que terminei o último episódio, não me contive o suficiente e tive que vir compartilhar com vocês essa série maravilhosa e que me deixou estagnada de uma maneira inexplicável.
E como o título deste post já diz, aos sonhadores...


O primeiro ponto que deve ser mencionado é a abertura da série, que é composto de imagens como as da foto acima. Cada pedacinho dessa abertura, representa um pouco de tudo o que Anne é e isso realmente deixa qualquer um fascinado, são tantas maneiras diferentes de exposição de imagem que não deixa nada a desejar, inclusive, em alguns dados momentos, podemos ver algumas das frases/diálogos citados em alguns dos episódios. 




Eu nunca havia visto a Amybeth McNulty antes, e posso dizer que estou impressionada e a querendo como amiga, sua interpretação de Anne realmente me impressionou, e eu não sei se foi somente pelo fato de eu ter me identificado muito com a personagem. Ela realmente me conquistou, com todas aquelas palavras complicadas, pensamentos intensos e histórias incríveis. Anne de Green Gables, estará para sempre na minha lista de personagens admiráveis cujos quais levo como exemplo!

Os cenários, são outro ponto forte da série, composto com essa fotografia mais leve, e esse figurino que remete bastante a época em que eles viviam. Tudo se encaixou de maneira perfeita no mundo de Anne <3 
Estou realmente apaixonada pela fotografia que mistura os tons frios e quentes, eles realmente ornaram e pareceram dar mais vida ainda a história. 

Anne With an E, é uma série arrebatadora de corações. Nela, nós conseguimos acompanhar tanto o crescimento de Anne, como a evolução de outros personagens. 

É uma série, que acho que todas as pessoas com grandes sonhos devem assistir - nem que seja só o primeiro episódio... é inspiradora e cativante, emocionante e surreal. 
Anne tem grandes ideia, grandes planos e grandes histórias, se questiona sobre várias coisas inclusive, Anne é avançada demais para a sua época, ah Anne de Green Gables <3 


Eu, como pessoa que tem uma lista de crushs de ficção (Deus, por favor, torna só um deles realidade e manda pra mim) lhe dou mais um motivo para ver a série, Gilbert Blythe (Lucas Jade Zumann) é de longe um dos personagens mais cativantes que a história nos apresenta, eu fiquei realmente curiosa para saber mais sobre ele e sobre seu passado. 


Anne nos ensina, que não importa as coisas que você já passou, tudo sempre fica melhor, basta sonhar. Ela nunca perde as esperanças, e isso é de longe uma das coisas que nós mais estamos precisando num momento. Anne é quem ela é, uma garota que sonha acordada, usa palavras que quase ninguém conhece e fala pelos cotovelos, ela sabe que as pessoas a acham estranha, e por mais que isso a incomode, ela não deixa de ser quem é pelos outros, Anne é ela mesma e isso é a coisa mais cativante nessa personagem, ela é verdadeira de uma forma tão real e invejável que isso acaba nos prendendo ao seu mundo, Anne é tão real e seu modo de ver as coisas é tão bonito que se torna impossível não se identificar com ela.

12 maio 2017

Coisas que quero compartilhar

~ desde que eu tirei essa foto, olho para ela e me lembro de The Walking Dead <3 | Instagram ~

 Mesmo tendo uma rotina cuja qual eu não gosto, sempre reparo em novas coisas - eu me esforço muito para isso, e amo porque sou preenchida de ideias, acaba que ter a minha rotina me estabiliza a manter minha mente criativa ativa 24h por dia, com pequenas escapatórias para qualquer refugio mágico que eu encontrar :) 

E com isso tudo, eu quero dizer, que sempre passo pelos mesmos lugares quase todos os dias, e sempre tento enxergar eles de forma diferente, a fotografia é a maneira que eu encontro de tentar mostrar isso (simples, até o dia em que eu aprender a criar imagens por cima, vou adicionar cada coisa fantasiosa)

MELHORAM O MEU DIA

Instagram ~
Nesse dia, no momento em que pus os pés fora de casa, vi os reflexos vermelhos nas coisas, acho que não consegui passar isso para a foto, estava realmente lindo demais para ser captado.

Instagram ~ 
Essas árvores, pertencem ao bosque que tem na minha escola - tivemos aula nele esse dia, o que foi bem legal, visto que o bosque é proibido de ser visitado caso você não tenha autorização, o que é uma pena, mas, eu me inspirei bastante nesse dia - resultou no fim do primeiro capítulo de um livro :) 
Minha escola serve para um bom refúgio no caso de um apocalipse zumbi acontecer (saudades The Walking Dead)

Instagram ~
  Essa, foi na sexata e admito, foi a primeira coisa que vi e me fez pensar "Hoje vai ser um bom dia!" e foi mesmo, uma certa alguém gabaritou uma certa prova da área de humanas <3 

QUE EU MAIS VEJO

Instagram ~
 Essas são as luzinhas que ficam ao redor da minha cama, eu acho elas tão acolhedoras, completaram uma parte do meu quarto que ainda não tinha minha cara, agora quando você entra nele, parece dizer que aquilo dali é parte de quem eu sou.

Instagram ~
Normalmente, eu saio da escola às 12h, mas na última semana, uma professora faltou, de forma que eles nos liberaram mais cedo, e como sou uma pessoa um tanto impaciente para esperar o ônibus, me distrai tirando fotos. (calças destroyed nunca ficam feias em fotos)

Este é um post curto, e tenho noção disso, mas é que agora, quero que o blog faça jus ao nome, então vou começar a atualizar esse cantinho que tanto gosto com coisas que fazem parte do meu dia-a-dia, mas nunca por obrigação, simplesmente porque gosto disso e realmente me faz bem! 

05 abril 2017

Everything is blue

Daniela Alves | @c0njecturas
 "Now I'm tearing through the pages and the ink."

Em tempos já passados, existe uma história quase nunca contada, destinada ao esquecimento.

Era uma vez, uma pequena garota, de olhos tão azuis quanto o céu da madrugada, alguns dizem que se olhasse profundamente dentro deles, você acabaria enxergando as estrelas, outros, contam que caso os olhe de tal maneira, em um mar turbulento irá se afogar.


A pequena garota, de olhos únicos, ria dos contos sobre ela e sobre tudo o que envolvesse seu olhar, não ligava, pois, todos ao seu redor eram cinzas. Ela sempre pensava consigo mesma que todos mereciam cores, mas cada vez que parava para conversar com alguém, descobria o porquê de tanta falta dela. 

Daniela Alves | @c0njecturas
"You're dripping like a saturated surise. You're spilling like an overflowing sink."

Todos apontavam e diziam que a Pequena Garota nada tinha de sofrimentos, o que poderia ter? Era apenas uma criança, uma criança azul em meio a um todo cinza e fraco. O que eles não sabiam, era que o cinza as vezes pode engolir o azul, mesmo que isso muito custe.

Como ninguém nunca olhava em seus olhos, não percebiam que as estrelas estavam sumindo e que o mar que ali existia, estava cada vez mais conturbado, mas cada vez menos azul.

Uma tempestade sem antecedentes de calmaria.

E então lá estava a Pequena Garota, tão azul como nunca esteve. Tudo era azul, seu cabelo, suas mãos, seus olhos, sua alma. Mas não um azul luminoso como outrora fora, e sim um azul fraco, como o cinza ao seu redor, ninguém percebeu, porque agora eram todos iguais e assim se contentavam.

Daniela Alves | @c0njecturas
"You're ripped at every edge but you're a masterpiece..."

Um dia, porém, após já ter se acostumado com o seu novo tom de azul. A Pequena Garota andava distraída quando tropeçou em um balde de tinta azul, com espanto, percebeu vários pontos rosas em meio a tinta, ela tocou de leve em cada um dos pequenos pontos, percebendo então que eram flores, devido a suas pétalas macias.

Foi quando finalmente olhou fundo no vazio balde manchado por tinta azul que percebeu que sua luminosidade ainda habitava dentro dela, assim como as flores que ainda estavam em perfeito estado dentro do vazio azul que se encontrava a sua frente. Ainda estava ali.

A Pequena Garota, voltou as suas origens, aprendendo que suas estrelas ainda estavam em seus olhos, assim como o seu mar azul ainda estava ali para quem quisesse se afogar.
Ela estava ali e tudo era azul, o céu azul.

Daniela Alves | @c0njecturas

Daniela Alves | @c0njecturas

Daniela Alves | @c0njecturas

Daniela Alves | @c0njecturas
 "And now I'm covered in the colors, pull apart at the seams..."

Daniela Alves | @c0njecturas
 "Everything is blue!"

Escute Colors, música que legenda as imagens desse post: Colors - Halsey